Processo de Jerónima de Sousa

Crime/Acusação

bruxaria e feitiçaria

Data da prisão

03/11/1619

Estado civil

viúva

Estatuto social

cristã-velha

Idade

70 anos

Mãe

Catarina de Moura, cristã-velha

Morada

Ribeira Grande, Ponta Delgada, ilha de S. Miguel, Açores

Naturalidade

Ribeira Grande, Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Açores

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Nuno de Sousa, cristão-velho, capitão de Infantaria

Sentença

auto-da-fé de 10/01/1621. Ir ao auto-da-fé com vela acesa na mão e carocha na cabeça, abjuração de leve, degredo para o Brasil, por três anos, instrução na fé católica, penitências espirituais, pagamento de custas.

Cônjuge

Brás do Rego

Cargos, funções, actividades

feiticeira

Notas

A ré foi presa em Ponta Delgada. Contém um "treslado de culpas" da ré (fl. 19A), que se achou entre outros papéis, pertencentes à mesma, aquando da sua prisão, que serviu como elemento de prova.