Processo de Gabriel Henriques Tota

Crime/Acusação

judaísmo

Data da prisão

08/06/1749

Estado civil

casado

Estatuto social

cristão-novo

Idade

23 anos

Mãe

Beatriz Nunes, cristã-nova

Morada

Bragança, bispado de Miranda

Naturalidade

Bragança

Origem

Inquisição de Lisboa

Pai

Manuel Henriques, "o Carrolho", cristão-novo, torcedor

Sentença

auto-da-fé de 08/11/1750. Confisco de bens, abjuração em forma, cárcere e hábito penitencial perpétuo, penitências espirituais.

Cônjuge

Beatriz Rosa

Cargos, funções, actividades

tecelão de seda

Notas

O réu tinha estado preso na Inquisição de Coimbra onde entrou em 08/06/1749.

Outras formas do nome

Gabriel Tota, Gabriel Henriques Carrolo